quarta-feira, 8 de março de 2017

Kjaer (Viciante) Weis

Corria o ano de 2014 quando a Muito Pipi teve pela primeira vez a oportunidade de fixar os olhos nas sedutoramente sustentáveis criações da maquiadora dinamarquesa Kjaer Weis.
Confesso não ter uma memória devidamente definida do primeiro contacto, mas creio ter sido através de um artigo que li na minha terceira viagem a Londres. Na altura (prova aqui), esta que vos escreve aguardava ansiosamente a chegada de maravilhosas coisinhas da marca à sua morada portuguesa. E pois que a vida às vezes é tão sinistra como um cavalheiro pintado de palhaço sorridente espreitando num beco escuro de uma estação de metro na calada da noite (maravilhas da vida londrina!). E pois que coisas às vezes sucedem. E pois que o encontro físico entre Weis e Muito Pipi acabou por não se concretizar nessa altura.
Entretanto tempo passou e outros valores consumistas acabaram por se levantar, aumentando assim o espaço entre a Dinamarca e Portugal. Ansiosa por acabar com a distância, esta que vos escreve voou até à Dinamarca. Informei-me, muni-me de coroas dinamarquesas e caminhei a passos largos até à morada onde as embalagens vermelhas de papel reciclado me abraçariam finalmente. E... não. A loja já não existia! Convicta em fazer a ponte e viver este amor que me havia sido negado, movi-me noutra direcção. E, num tsunami de problemas de pronúncia, acabei por receber a dura informação. Não! Não vendiam na loja física, só na online. Sabiam no entando de um outro ponto de venda, a poucos minutos de distância. E lá foi a Muiti Pipi. Mas... não! A loja estava fechada. "Porquê Kjaer, porquê?!!! Porque me escapas das mãos sem dó nem piedade???!!! Porque me partes o coração com a ausência da tua presença???!!"
Entristecida acabei por voltar a Londres. E bem, entre tantas outras emoções e novidades embelezadoras, a marca dinamarquesa acabou por ficar esquecida. 
O desejo reacendeu há umas semanas atrás quando, ao ver uma maravilhosa imagem construída com produtos da Kjaer Weis me decidi a tirar um dia de férias (sim... um dia de férias!) para caçar um destes bichinhos! E sim... posso adiantar que fui bem sucedida! Aaaaleeluia!
Tinha na manga várias opções de lojas, mas a minha primeira opção, a loja escandinava Wild Swans, em Islington, revelou-se uma mina de ouro. Estavámos finalmente juntos!
Uma sombra (Cloud Nine por 32 libras) e um blush (Blossoming por 40 libras) foram os eleitos para um primeiro contacto íntimo. E que escolha! A sombra é uma perfeita embelezadora para dias simples e uma alegre iluminadora de momentos de maior dedicação. O blush por sua vez tornou-se rapidamente no queridinho do momento. A marca descreve-o (aqui) como um tom rosado que proporcionada um visual saudável, resplandecente e fresco. A Muito Pipi confirma! A Muito Pipi confirma tudo! Com uma textura que se funde incrivelmente na pele e que permanece impecavelmente no lugar, o Blossoming escancarou sem dúvida uma caixa de Pandora de insaciável apetite ao melhor nível do Monstro das Bolachas pelo material Kjaer Weisiano.
E as embalagens? Oh... as embalagens! Deliciosas. Prateadas. Pesadas. Graciosamente deslizantes. De uma nível que nenhuma fotografia poderia captar. Para que não vos falte nada, A Muito Pipi pessoa que sou eu criou um lindo GIF para vos mostrar as suas mãos a estonteante dança de sedução prateada criada pelas mentes maléficas da Kjaer Weis.
Como ousam deslizar assim? Como ousam transformar a abertura de uma embalagem num momento de assombroso prazer (não?)? Isto não pode ser obra de Deus meus queridos e queridas. Não pode! 
E com isto me despeço. Tenho umas comprinhas dinamarquesas para fazer.

2 comentários:

  1. Eu conheço várias lojas online que vendem essa marca! Nunca me aventurei a comprar porque se vão metendo outros desejos à frente...

    ResponderEliminar
  2. Verdade... tantas coisas interessantes no mundo. Acho o que mais me entusiasmou foi o facto de aliar sustentabilidade a um design muito bom e a excelentes comentários sobre a qualidade dos produtos. Acho que é algo que falta à maioria das marcas que se definem como sustentáveis. Tendem a ser um pouco hippie demais para me entusiasmar.

    ResponderEliminar